segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Toda vez que estou para morrer sinto vontade de gritar com a ponta dos dedos. Meus dedos calam ...escrever com qualquer sentimento alterado gera um desconforto ainda maior que a morte. O erro, a palavra torta, o estilo pobre - todas as fraquezas do escrivão esticam seus braços para o leitor. Eu temo escrever, quando estou para morrer. É nesse momento que sou mais eu do que todas as vezes. Minhas máscaras apagam-se numa velocidade que não consigo calcular e eu surjo escabelada em meio as minhas sombras. Neste segundo sou a possibilidade de qualquer fracasso. E meu discurso é vão.
Toda vez que estou para morrer sinto vontade de gritar com a ponta dos dedos... mas hoje eu vou apenas desenhar.
By Angelise.

Do guarda-roupa e da vida

Sempre tive uma relação interessante com o meu guarda-roupa. Sempre. E de alguma forma muito misteriosa ele revela como anda minha vida ...