Reflexões de boteco

Acho que a educação frequentemente cria antas: pessoas que não se atrevem a sair das trilhas aprendidas  por medo da onça. De suas trilhas sabem tudo, os mesmos detalhes, especialistas, mas o resto da floresta permanece desconhecido. (Rubem Alves)


O que é ler? Como posso ler sem corromper-me com a ideia de que carrego uma verdade? Como posso proferir que alguém leu mal algo? Ler é ler em cada etapa da descoberta em que eu, leitora, me encontro. Ler tem relação com a forma como eu dialogo com as vozes do texto (Roland Barthes). Cada texto tem mil vozes e eu vou abrindo os meus ouvidos para cada uma delas.
Minha vida caminha ao encontro destes sons. Não quero receitas nem proferir discursos vazios de vivências. Eu quero simplesmente abrir as minhas asas e voar. Que importa se meu voo sair trêmulo um dia ou outro? Eu me arrisco na arte de errar. Eu erro como quem quer acertar, mas não penso no acerto para a nota que o professor expõe no mural da escola dos dias. Eu quero acertar a vida, simplesmente.
Ler não é para os orgulhosos ... é ver o outro, os outros..VER...
Ver é exercício humilde do artesão da vida.

Angelise Fagundes

Comentários

  1. Ange, muito legal seu blog! Você escreve muito bem, parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh...querida! Obrigada...vou tentando, escrevendo um cadinho aqui, outro ali...como escreveu o Fernando Pessoa - não escrevo em português, escrevo eu mesmo(a). São um pouco das minhas reflexões, inquietações que coloco aqui... e tu, escreves? Beijos e obrigada pela leitura.

      Excluir
  2. Respostas
    1. (Desculpe deu pane a cima hehe)
      Mas é muito legal mesmo, bacana os textos que você menciona e o modo como escreve!
      Olha...eu me aventuro pouco. Mas gosto muito de ler e refletir em cima de tudo que leio. O mundo da leitura é fascinante!!
      Beijos.

      Excluir

Postar um comentário